Mais uma verdade sobre a "merda" vermelha!





















"Mao Tsé Tung deu este título a um livro com os seus pensamentos, na esperança de pôr os mil milhões de chineses a pensarem pela sua cabeça. 50 anos depois, um clube de futebol imita-o. A ‘cartilha’ benfiquista agora denunciada é gravíssima para o clube, para quem a faz e para quem a recebe. 

É grave para o Benfica, porque evidentemente a apadrinha: Luís Filipe Vieira recebe-a regularmente e nunca a renegou.
É grave para quem a faz, porque denuncia um sectarismo paranoico. E é grave para quem a recebe, porque parece aceitar hipotecar o pensamento. 

É preciso dizer que esta ‘cartilha’ não se limita a fornecer elementos estatísticos ou outra informação para ajudar nas suas análises os comentadores afectos ao clube.
Não: a cartilha pretende orientar as opiniões dos comentadores. Diz o que eles devem dizer (e até aquilo de que não devem falar). E fá-lo com imenso pormenor, em dezenas de páginas carregadas de ‘instruções’.

Ora, se já é duvidoso que haja comentadores com algum protagonismo social (como André Ventura) que aceitem ser ‘orientados’, é inconcebível que jornalistas com carteira profissional (como João Gobern) se sujeitem a receber orientações. Podem jurar que, embora as recebam, não as seguem. Então, por que não disseram: ‘Não quero que me enviem cartilhas de pensamento, pois recuso-me a ser tratado como atrasado mental’? A suspeita, portanto, está lançada.

Uma última nota: o autor da ‘cartilha’ foi funcionário do Sporting e trabalha hoje para o Benfica.
E o responsável pela comunicação do Benfica já trabalhou para o Sporting (e para José Sócrates). Tudo boa gente."

Um jornalista que coloca o dedo na ferida sobre a verdade do que é o jornalismo porco e sujo em Portugal e anti-Sporting e que protege a corja vermelha!
Relembramos que esta tarde no jogo de futsal na lixeira de Carnide de onde o Sporting saiu com um empate a uma bola e com os mesmos 10 pontos de avanço sobre aquele clube merdoso, os adeptos do Carnide voltaram a fazer "menção" ao very-light de 1996, começo a pensar que se calhar a música dos Super-Dragões até faça algum sentido, esta gentalha de merda não faz cá falta nenhuma!

Um comentário:

Anônimo disse...

Para estas bestas do bemfika qualquer dia o autor do crime tem estátua ao lado do King Kong.