O que é realmente nojento no futebol português!


O texto em baixo é da autoria de um sportinguista, texto esse que encontrámos num site de sportinguistas e que decidimos partilhar para ver se alguns aprendem...
Agora leiam e se tiverem capacidade comentem...

  • é ter carácter de luzinhas de árvore de natal, espírito de néon e andar a vender fogo-de-vista. Sobre a alma, está à vista!;
  • é ver conceitos como "ruído" e "silêncio" serem interpretados à-lá-carte, exclusivamente a partir das entradas que do Dicionário Hipócrita da Língua Portuguesa;
  • é ver dirigentes de clubes a ofender expressa e literalmente a honra e a seriedade de árbitros e saírem ilesos, apenas por fazerem parte do "poder" sujo;
  • é ver que o MP e as polícias têm medo de perseguir os grandes traficantes e mafiosos que infectam e conspurcam o futebol, quando a ele estão ligados;
  • é ver oferecer prendas ilegais, com a protecção à-lá-carte de juizes-lexívia cuja função, supostamente, é impedi-lo;
  • é ler o acórdão do CII sobre os vouchers e ficar a saber que foi fabricado e escrito gente sofre de "iliteracia à-lá-carte";
  • é ver decisões de foro exclusivamente jurídico serem substituídas por decisões políticas, convidando os prevaricadores a continuar a incumprir a seu bel-prazer;
  • é ver o clube do colinho a elevar adeptos seus ao quadro principal de árbitros, ao abrigo do programa "Prefiro homens na Liga do que Ronaldos na equipa", só uma pessoa fazer a denúncia pública e ninguém sequer investigar;
  • é ver gente como Marco Ferreira ser amputada do "sistema", por não estarem submetidos e a serviço, e mantidos inenarráveis como um Jorge Ferreira, um Manuel Mota, um Bruno "aquele-menino-riu-se-de-mim", e outros que tais, apenas pela sua Paixão militante vermelha;
  • é ver que a fórmula Conselho de Arbitragem + Observadores e Delegados + Conselhos e Comissões, continuam a ser o melhor (e único) plantel para ganhar campeonatos, com uma pouca-vergonha tal que fica a noção de que realmente nem com Ronaldos e Messi's na equipa se consegue derrotá-los;
  • é ver a panelinha que continua a tentar manter ocultos os relatórios de observadores, delegados e árbitros, de forma a não se saber que a desonestidade ou a incompetência orientada vão ao ponto de se expulsar quem se ri, e que o critério dominante de classificação é o interesse vermelho;
  • é ver compras de bancadas inteiras por adversários, vendidas depois a metade do preço, sem que o "sistema" questione o "troco" dessa diferença;
  • é ver compras de jogadores adversários, dias antes do jogo, por preços convenientemente inflacionados e que nunca calçarão no clube comprador, sem que o "sistema" questione a intenção ou a ética disto;
  • é ver todas as jornadas fora de uma das equipas serem precedidas sempre da exclusão de jogadores nucleares por acções disciplinares, com precisão de relógio suiço e achar-se convenientemente "coincidência" sem pestanejar de vergonha;
  • é ver SAD's de clubes mudarem autenticamente de nome, de Belenenses para Belémfica, afrontando os seus próprios adeptos, à cara podre, à vista de todos e com a bênção do assobio para o lado do "sistema";
  • é ver regulamentos feitos de forma a garantir a perpetuação dos expedientes de gente criminosa, porca e suja, de baixo carácter, sem ética, entre os quais uma horda de burocratazinhos medíocres que, para se manterem agarrados ao tacho e iludirem-se que conseguem ser alguém, vão rebentando com qualquer réstia de credibilidade e seriedade desportiva que o futebol ainda tenha;
  • é ver um presidente do CA ser acusado publicamente de ter telefonado a árbitros a tentar condicioná-los no desempenho com uma equipa específica e, não só não acontecer nada, como manter-se a rebentar mais uma época;
  • é ver o elogio do vale-tudo, da cagadinha e o disfarce promocional da batota, na generalidade da CS, em nome da moedinha pelo papel que, de sujo, nem para higiénico serve, ou da captação da audiência de idiotas, com o fito de forçar o mérito "desportivo" que querem fabricar, para descanso dos batoteiros e alegria dos alarves que dispensam qualquer preocupação com os meios usados, focados que estão na ganância alarve dos fins;
  • é ver serem dados, cargos e tempo de tribuna a imbecís como o inenarrável Nenuco Paqui, tentando chamar "futebol" ao desfilar da hipocrisia, "desporto" àquilo que a condição humana tem de mais rasteiro, e "isenção" à satisfação à-lá-carte dos desmandos e interesses de uma máquina de propaganda dissimulada;
  • é ver, em suma, como as instituições podres do futebol, os expedientes "autorizados" de gente corrompida, ou mesmo criminosa, as "cartas na manga" e a hipocrisia generalizada, vão usando e abusando da população, que aldrabam e gozam à cara podre, sem o mínimo de respeito quanto mais não seja pelo preço dos bilhetes que lhes pagam os ordenados, as comissões, as prendas, as refeições de luxo, etc, etc.

O melhor é ficar-me por aqui, porque o tema é infinito e o cenário negro com breu. É como um pântano: quanto mais se mexe, mais lama pútrida aparece.
E nem a alternância eleitoral que se avizinha faz prever qualquer melhoria, uma vez que a generalidade dos "mesmos" continuará lá, agarrados ao lugar como lapas e a serviço do "sistema" do costume.
E tudo isto é culpa, claro, do facebook, essa geringonça irritante que impede as máquinas de propaganda e os seus fantoches da CS de calar quem não querem que fale ou de reajir e contra-atacar os silêncios convenientemente ruidosos que, no País das Maravilhas Vermelhas sonhado por essa gente, ditariam a verdade inquestionável e a realidade única.
Não acredito sequer muito que a eventual introdução do video-árbitro venha a mudar grandemente as coisas: a mesma cegueira com se expulsa alguém por sorrir, sem pestanejar, e outras decisões mais patéticas até, mesmo com 50 mil pessoas a ver no local, só fica facilitada se houver ainda mais "decisores", ocultos como os relatórios, numa sala escondida.
A pouca-vergonha que se passa é tal que não há video-árbitro que lhe valha. A seriedade e a honestidade são questões de carácter, do foro psicológico, ou quando muito judicial. Não se resolve com novas tecnologias, por muito boas que sejam. Quem tiver dúvidas disto, releia o acórdão da CII sobre os Vouchers, e perceberá de vez que, quando se consegue produzir entorses daquelas à lei, sem um pingo de vergonha e à vista de todos... consegue-se tudo!
A única coisa que nos pode salvar é a constatação de que jogar 120% acima da bandidagem e da batota levou um campeonato indefinido até à última jornada e que, isso significa que a experiência e maturidade competitiva acumulada ao longo desta época brilhante, nos deixa a uns míseros 5% com que conseguiremos superar essa escumalha toda e engasgar os seus expedientes. Falta pouco, muito pouco e o futuro é nosso!
Vivemos este ano as dores de parto dos novos tempos que estão evidentes.
Adorei todas as caldeiradas, picardias, arrufos e demais desmandos dos ruidos do "silêncio" e dos silêncios do "ruído", porque significou algo bem mais profundo: fomos nós a afirmar "Arreda... chegámos!", o Ass Hole Bê aflito "Não... não... não..." e os tripeiros a afundar-se sozinho no atoleiro que construiram ao longo de épocas e épocas e do qual terão muita dificuldade de sair enquanto a natureza não seguir o seu curso.

A verdade é que, aconteça o que acontecer (tudo está orquestrado há muito para lhes entregar o título, mas ainda não o têm na mão!) eles estão espapaçados a tentar conseguir em desespero o seu canto do cisne, aproveitando os cartuchos que restam da era JJ (sim, não se esqueçam que só inverteram a debacle inicial quando o Marinheiro largou os seus métodos e reintroduziu o sistema delineado ao longo de anos por JJ!!!), enquanto nós fizemos em 2015/16 a pré-Época dos anos de sucesso e de ainda maior crescimento e consistência que nos esperam e que toda a gente já percebeu, lampiões incluídos.
Para concluir, tenho a dizer que só um papalvo, um ingénuo, uma prostituta à espera do que lhe calhe na bolsa ou um servil é que dão os parabéns ou atribuem mérito a um batoteiro que venceu à conta dos ases que tirou da manga e da forma manhosa como "baralhou" as restantes.
A quantidade de gente que o faz é impressionante e diz bem da dimensão da entorse ética e da doença dos princípios de que o nosso futebol padece.
Eu, que sou pouco dado a dar cobertura a alarvidades e ganâncias, só para ficar bem na foto do politicamente correcto, irei dar os meus parabéns ao verdadeiro campeão - o Sporting. Aconteça o que acontecer, estarei em Alvalade para dar os parabéns a quem o merece, por mérito e brio.
Se o título vier na mala, melhor. Se não vier, o meu reconhecimento é igual.
Até lá, espero que o meu grandíssimo Presidente, Bruno de Carvalho e demais notáveis dirigentes, continuem a dar tudo de si, no facebook ou seja onde for, numa defesa intransigente do clube, como há muito não se via, se é que há memória viva disso (começo a crer que nem no tempo de João Rocha, que eu vivi e me lembro bem, foi assim!)
Quando sair bem, saiu; quando sair menos bem, estamos cá todos e fomos todos.
Juntos!
O espaço que recuperámos é... nosso, custou muito a reconquistar e dele ninguém nos tira!
A urticária e aflição que se tenta esconder atrás das "não provocações", "não ditas", do silêncio mais megafónico que alguma vez ouvi, tem um só motivo:

Somos um colosso de novo!
Unidos, orgulhosos e determinados.
AUTOR: Alex Nogueira

6 comentários:

Anônimo disse...

Qualquer artigo demagogo, e que não fale sobre o futebol em si nem merece ser comentado.

Deixo a pergunta ao imbecil que escreveu o texto. Perante tantas certezas de corrupção, de batota, de conspirações jornalisticas e quase politicas, porque não vai levar a lista de provas á PJ?

É ver serem dados espaços de opinião a pessoas com um nível intelectual abaixo de um pulga.

Luis Silva disse...

Caro anónimo, aqui a questão é a ética, a moral, a honestidade... a isto chama-se a que vejas as coisas de forma certa, mas que não queres saber porque desde que o teu clube ganhe está tudo bem! Não admira que o país esteja como está...

Anônimo disse...

Temos que saber respeitar, quando não se concorda, é um blog aberto e comentam pessoas do nosso Clube e não só, assim sendo, só temos que argumentar o que não é verdadeiro, e saber receber as crítica, não se esqueçam que o Sporting é diferente dos outros Clubes, não é calar e ofender, mas sim argumentar e bem.

Anônimo disse...

anónimo 00.30

Hoover, Director do FBI, negou durante 20 anos a existência do crime organizado, todavia ele existia. não basta uma lista, meu caro. por ultimo, não ofendas.

Mario Silva disse...

Anónimo 14 de maio de 2016 00:30

Engraçado! ... Os Portistas respondiam geralmente nos mesmos tons, e até mais agressivo, até que se deu o "apito dourado" ... caso do qual temos que agradecer aos benfiquistas, quais Sportingistas na defesa da verdade desportiva, e à BTV não ter deixado morrer o assunto (foi programa principal durante 2 anos).

Assim só temos que esperar pelo "apito avermelhado"... e ver todas as tramoias escalpelizadas ao infimo pormenor na Sporting TV.

jacinto joao dias gomes disse...

,Concordo com tudo o k foi dito e escrito..mas visto k nunca ira melhorar o melhor e' fazer igual aos outros...sera impossivel limpar toda esta sujeira..ou Bruno Carvalho sozinho vencer esta potencia suja..