A voz do adepto leonino - "O treinador do Sporting"


“Sinto-me magoado, desiludido e aborrecido com este Sporting.
Mas que sportinguista é que não está?!
Estou mesmo lixado com isto...
Pudesse utilizar a palavra "f" e conseguiria exprimir-me melhor ainda (e não estou a pensar em "farto", apesar de o estar!).
Então mas este não é o Sporting que eliminou o Manchester City e o Metalist no ano passado?
Não!
Deveria ser melhor ainda!
Faltavam-nos dois pilares para o centro da defesa e já lá estão, faltava-nos um trinco com um pulmão e capacidade de destruição similares ao de Rinaudo e temos um suíço que com algum trabalho chega lá, faltava-nos um fantasista e temos um marroquino que nos apaixonou de imediato, precisávamos de mais irreverência na frente de ataque e temos uma grande promessa argentina recém-chegada e um peruano que parece mais consistente este ano...
Enfim, só me apetece dizer que está tudo maluco neste clube.
Então se melhoramos o plantel o que é que falha?!
Não só mas também, a minha resposta à minha pergunta é: o treinador!
Sá Pinto não pode ser totalmente culpabilizado pelo insucesso nos dias de hoje mas é certo que tem muitas responsabilidades nisso.
Na época transacta trouxe a garra, a ambição e a devoção de um grande sportinguista que é.
Contagiou jogadores, dirigentes, sócios e adeptos com tamanha magia leonina.
Até no campeonato os prepotentes dos nossos adversários puderam sentir aquele (quase) renascer das cinzas e tremeram, meus amigos, tremeram muito.
Este ano o Sporting tinha tudo para ser o número um em Portugal.
Poderia ter sido um estádio de Alvalade com mais um troféu no museu (a maldita Taça de Portugal) e com o hino da Champions a cada terça/quarta.
Acabamos por não conseguir nenhum destes objectivos.
Anímica e desportivamente, parece-me que sem isto e já sem o efeito de primazia trazido por Sá Pinto, o futebol dos leões fica pobre e cada vez mais fraco.
Põe-se agora outra(s) questão(s):
Não seria de esperar este cenário deprimente de início de temporada?
Não seria de prever que Sá Pinto ainda estaria verde para conseguir a festa do Marquês?
Os nossos dirigentes não deveriam ter salvaguardado a imagem e posição do nosso treinador e equipa técnica?
Os jogadores não deveriam ser blindados face a estas situações nocivas?
Sim, a todas as interrogações.
Deveríamos perceber que quando o entusiamo "Sá Pinto" terminasse também terminaria o seu estado de graça e consequentemente o sucesso verde e branco.
Esta época, a meu ver, deveria ter começado com um treinador de topo ('internacional', pois claro) e com Sá Pinto na equipa B (junto à matéria-prima que ajudou e ajudaria a criar, entenda-se Betinho, João Mário, Mica, Ilori...).
Foi meritório o que o "Coração de Leão" nos deu em 2011/2012, sem dúvida, mas era percetível que isto ia acabar assim.
Só não quero ver outro treinador português "queimado", muito menos ver o meu (nosso) clube rotulado desta forma.
Companheiros, remato o meu texto.
Paulo Bento, Paulo Sérgio, Carlos Carvalhal, Domingos Paciência ou Sá Pinto, uns bons, outros nem tanto mas todos eles com o mérito de terem treinado o enorme Sporting.
Nenhum deles teve a 'sorte' que têm idiotas (permitam-me a expressão mas não me ocorre outra) como Jesualdo, Jesus ou Vítor Pereira.
A meu ver estes nomes já não são suficientes para o nosso Sporting.
Precisamos de muitas mudanças e uma delas perece-me que passa pelo investimento num treinador com mais títulos, mais sabedoria, mais conhecimento e mais experiência.
É a minha humilde opinião.
Força Sporting e força sportinguistas.
JRHM” 

4 comentários:

iorda9 disse...

Excelente texto - concordo a 100%

miguel disse...

Como cidadão, cada um tem todo o direito de escrever aquilo que pensa.

Mas como Sportinguista (e sobretudo como Sportinguista com alguma influencia sobre outros Sportinguistas, por estar a escrever num blog com muitos leitores) devias ter a responsabilidade de pensar, sempre que acabas de escrever alguma coisa sobre o nosso clube, "como é que isto que eu acabei de escrever vai ajudar o Sporting?".

Se a resposta for "não vai ajudar nada" se calhar mais valia não publicar nada...

Não estou a criticar ninguém, mas acho que devias pensar um bocadinho nisso.

Anônimo disse...

Para mim a venda do Matias foi um crime, dos poucos com criatividade e capacidade para inventar lances do nada fossem em equipa ou individuais (já para não falar do exímio marcador de livres que se tornou nos últimos tempos), era juntamente com Izmailov um jogador sempre a contas com lesões, mas iam fazendo as vezes um do outro, e quando jogavam juntos (raro) das melhores exibições do Sporting que tenho memória.
A venda do Matias não tem perdão, e não tenho dúvidas que nesta fase inicial de alguma parilisia cerebral dos jogadores em campo, para criar jogadas, teria dado imenso jeito.

SL

Carlos Santos

Anônimo disse...

O problema do Sporting está no defesa direito que não sabe atacar (Cédric cruza do bico da grande área e não vai à linha). Não temos substituto à altura para João Pereira. A melhor opção é Pereirinha. Depois, jogamos em 4-3-3, quando deveríamos jogar em 4-4-2. Wolfswinkel está muito só. Finalmente, o Ponta-de-lança holandês é muito lento, pouco agressivo e, apesar de rematar colocado, tem pouca força e é fraco de cabeça. Ah, e as bolas paradas. Só temos um jogador à altura, Jeffren (Insua só para remates de longe). Resumindo e concluindo, o que mais me custa é o nosso treinador parecer não se aperceber disto. Já com Domingos tinha que jogar com o Djaló e com o Postiga, o que queimou o Postiga, que é um razoável segundo avançado, tal como o demonstrou quando jogava ao lado do Liedson. Deixo-vos a minha equipa: Rui Patrício; Pereirinha, Boulahrous, Rojo, Insua; Rinaudo, Elias, Pranijc, Izmailov; Jeffren, Carrillo. Tenho pena de deixar de fora CAPEL e GELSON.