A voz do adepto leonino - "Em mais um ano dos nossos…"

“Andamos um pouco ressentidos, e porque não afirmar: desconfiados.
Facto é que as últimas épocas quase que criaram um estigma envolto do nosso Sporting, porquanto foram tomadas medidas e opções que contrastam com futuros risonhos, como seja o investimento numa equipa que traga retorno.
Andavam uns quantos rapazes a arrastar-se em campo sem grande jeito para pontapés na bola, o que representa desde logo: sem retorno imediato ou futuro.
O paradigma mudou… ainda assim…
Reconheço que, no presente ano, temos alguns craques pelo que a expectativa cresce juntamente com a crença de que poderemos fazer algo interessante.
Deixem-nos sonhar, ao menos.
O discurso do leão, é típico.
Pouco ambicioso, sem excepção diplomático e sempre a meter água na fervura, quando a crença aumenta.
E neste associo, permitam-me discordar.
Temos de acreditar, pelo que deveria ser incutido desde o primeiro dia, a este novo grupo de jogadores, a necessidade de vencer, não é a vontade, é a indispensabilidade, fruto da camisola que vestem, e aqui o discurso deve ser vertical, desde a direcção, até ao treinador e jogadores.
Andamos sempre no «quase», no «até daqui a pouco», no «aguardem que nos estamos a fazer».
Tudo bem, aceita-se parcialmente, as equipas fazem-se, constroem-se, não obstante não nos envergonham da forma como têm feito, é caso para dizer que desde o Pinhalnovense não ganhamos um, e mais grave, a equipa joga zero.
Eu acredito.
Sim porque ainda sou dos muitos que compra Gamebox Sócio e se tem envergonhado com o que tem visto.
Até porque comparativamente com anos transactos esta equipa, em construção, tem jogadores de qualidade, só que de vez em vez: falta-lhes um berro, umas asneiradas duras, uns avisos internos (não é na comunicação social chorar-se de serem miúdos, para o efeito recordo que 85% do plantel é internacional!), para que os demais sintam, e joguem como se exige.
Assim, e porque se exige, eles que corram, que se dediquem, e nós deixemo-nos de ser politicamente correctos e aceitemos o estado geral das coisas, ou queres ver que agora não tenho direito a indignar-me com o que vejo.
Futebol é paixão!
Saudações leoninas.
Hugo Tavares”

Nenhum comentário: