A voz do adepto leonino - "Sporting, um amor doentio"

“O adepto sportinguista daria muito trabalho até ao mais treinado dos psiquiatras.
Uns sofrem de depressão.
Perdem o sono, são facilmente irritáveis e demonstram uma apatia imensa no apoio à sua equipa.
Deslocam-se aos jogos com um pessimismo exacerbado, qual condenado que vai para a forca.
Outros são obsessivo-compulsivos.
Repetidamente assobiam os jogadores, que sistematicamente despedem-se dos adeptos ao som desta “música”...
Alguns apresentam sintomatologia das perturbações bipolares.
Ficam eufóricos quando o Sporting ganha e entram numa depressão profunda nas derrotas.
Ainda existem os masoquistas, que sofrem por antecipação.
Passam toda a semana, qual amolador de tesouras a adivinhar chuva, a prever mais um jogo de sofrimento e mais um fim de semana de pesadelo!
Não nos podemos esquecer dos que sofrem de stress pós-traumático.
Quando falam do Sporting, seja no café com os amigos ou no trabalho, só recordam a derrota com os russos em casa na final da Taça UEFA ou a derrota na Luz que custou um título. Enfim...
Como queremos que os nossos filhos se tornem os sportinguistas do futuro se para muitos de nós o Amor que temos pelo Sporting se tornou algo patológico?
Ir ver o Sporting a Alvalade continua a ser para mim um enorme prazer.
Tenho a consciência que as últimas épocas foram penosas e ajudaram a um certo afastamento entre adeptos e equipa, no entanto não consigo, nem quero, esconder o sentimento que tenho pelo Sporting.
O Sporting é algo tão presente na minha vida como o ar que preciso para viver!
Depois da clara demonstração da superioridade do Bayern relativamente ao nosso Sporting, não bastando a enorme tristeza que me ia no íntimo, ainda tive que levar com o "gozo" dos meus amigos no café onde habitualmente vou.
Nesse mesmo dia disse algo que ficou para sempre e que repito vezes sem conta nos piores momentos.
Perdemos? Sim, e... cada vez amo mais o Sporting!
Nos piores momentos, quando estou triste pelas derrotas e têm sido muitas nestes últimos tempos, recordo as alegrias dos momentos de glória do Sporting.
Gostamos de dizer que somos diferentes dos adeptos dos nossos rivais, sim somos mas nestas duas últimas épocas para pior.
O ambiente que criamos em Alvalade é hostil não para os nossos adversários mas para a nossa própria equipa!?
Como diz Saint Exupery, “o essencial é invisível aos olhos”.
O que nos une ao Sporting não são as vitórias mas um amor incondicional que nasce connosco, tão puro e belo que nos faz querer transmiti-lo às gerações vindouras.
Certo dia alguém disse que a grandeza de um clube media-se pela grandeza dos seus adeptos.
Acredito que neste período complicado da nossa história e pese estarmos a ombrear com rivais com condições financeiras muito superiores às nossas, a nossa dedicação, devoção, raça, crença e esforço pode ajudar o Sporting a encontrar o caminho para as noites de glória que todos ansiamos viver.
Pedro Miguel Custódio
Sócio nº 64702-0”

Um comentário:

Anônimo disse...

debruça-te sobre este texto e vê se aprendes alguma coisa....