A voz do adepto leonino - "PEC em Alvalade"

“Contextualizo: sei que PEC nem sempre esteve ligado aos melhores momentos da nossa sociedade em tempos recentes, contudo a estabilidade e crescimento são conceito-chave para qualquer alcance de objectivos.
A uma equipa fraca, moribunda, desnutrida, e hedionda injectou-se juventude, técnica, físico, irreverência e uma vontade imensa de ganhar.
Ok, podem dizer que Onyewu é lento, que o Schaars é mole, que o Jeffren é frágil... Aceito. Mas numa perspectiva geral está melhor.
É suficiente? Quase, quase. 
O que falha afinal? Na minha opinião há lacunas a resolver no plantel mas para as quais encontramos fácil solução.
Altura. O futebol moderno leva-nos a crer que a componente física, em muitos jogos, sobrepõem-se à táctica, à técnica e à vontade de fazer mais e melhor.
Temos defesas baixos (os laterais direitos não chegam a 1.80m, três centrais têm 1.82m/1.83m, mas a lateral esquerda está bem servida com 1.86m e 1.80m), médios (Rinaudo, Schaars, André Santos, André Martins, Elias, Matías, Izmailov - apenas um 1.82m de L.Aguiar), e avançados (só RvW com o seu 1.86m escapa). Vários clubes apresentam jogadores altos.
A meu ver são importantes.
Possibilitam um nova versão de futebol (mais incisiva) quando a 'bola rasteira' não chega ao fundo da baliza; e dão consistência em bolas paradas de ataque e defesa.
Disciplina táctica. Os jogadores do Sporting são menos do que os da equipa adversária. Não notam isso?!
Parece que não preenchemos o campo. Parece que só conseguimos chutar a bola para o ataque. Parece que não se treinam passes. Parece que os  jogadores não se conhecem. Aquele memorável jogo contra a Juventus foi diferente.
Os jogadores atacavam a bola e o adversário. A pressão era alta. A defesa posicionava-se perfeitamente. Um "leão" com a bola não estava nunca sozinho pois surgiam logo colegas a facultar linhas de passe. Era um futebol apoiado, coordenado, gigante, imenso. Haja entreajuda, solidariedade e companheirismo no colectivo e o espírito de equipa valerá muitos pontos (não foi este um dos chavões de Domingos no Braga - grupo forte).
11 titular. Caramba, o ano passado não se transmitiram jogos do Sporting?
Ninguém foi ver a equipa de P.Sérgio e Couceiro ao estádio?
Futebol era um desporto que não assistia aquela equipa. Qual a solução? Apostar em jogadores da época transacta. Claramente só poderia ser mau resultado. À falta de mais reforços e à falta de qualidade notória de muitas unidades provenientes da equipa passada, devem ser dadas oportunidades aos jogadores que supostamente foram contratados para crescer (Arias, Turan, A.Martins, Carrillo e Rubio).
Reforços. Temos poucas horas para encerrar o plantel com que lutaremos pelo título (obviamente o defeso de Inverno permitirá fazer os devidos ajustes e retoques). Necessitamos de mais um central e um ponta-de-lança.
A minha sugestão seria apostar em jogadores experientes e que tragam soluções inexistentes (ou escassas) no plantel. Central alto, forte e possante mas rápido, com capacidade de antecipação e qualidade para iniciar uma transição defesa-ataque.
O ponta-de-lança deve ser também alto, possante e forte de forma a garantir que, com um segundo avançado móvel, consigam massacrar as defesas adversárias.
Jovens da formação. Este é um dos capítulos mais importantes e bonitos da história do Sporting. Todavia, para nossa felicidade, é uma história longe de acabar.
Nomes como Pedro Mendes, Nuno Reis, Eric Dier, Tobias Figueiredo, Ilori, Cedric, William Carvalho, Agostinho, Bruma, Zezinho, Wilson Eduardo, Diogo Rosado, Amido, Betinho, entre tantos outros serão imprescindíveis no nosso clube. Darão resposta quer a nível desportivo quer financeiro, à necessidade de salvaguardar um futuro de sucesso.
Adeptos. Apoio incondicional à equipa, aos técnicos e à direcção.
Somos mais que o 12.º jogador, somos um segundo onze que auxilia os defesas a recuperar bolas, os médios a criar magia e os avançados a fazer abanar as redes do inimigo.
Sem nós o Sporting não é grande.
Sem nós o futebol não é bonito.
Sem nós assistiremos à hegemonia azul e vermelha.
Estou farto de ver o país a gritar pelo Porto.
Estou farto da prepotência e arrogância dos lampiões porque ganharam um campeonato e um 'par' de taças.
Vamos pintar o país de verde e trocar a nosso idioma pelo rugido do leão.
Porque somos grandes, tão grandes como os maiores da Europa.
JRHM”

5 comentários:

Anônimo disse...

Espero k no próximo mercado de transferências o Sporting contrate para defesa central- Geromel ou Vlaar e para PL- Bendtner ou Guerrero

Daniel disse...

Espectacular o texto. Eu nunca vou deixar de acreditar ! AMO TE SPORTING !

Anônimo disse...

Vai rever o leão ao Circo do Cardinalli ...

concretiza o teu 'Sonho'!!!

Anônimo disse...

Muito bom text...adorei.... TI AMO SPORTING

Anônimo disse...

Bonito rapaz. Gostei! É sensato e um aviso para aqueles que se esquecem dos grandes jogadores que foram contratados esta época. Este Sporting só precisa de tempo.