A voz do adepto leonino - "Porque fazer melhor é uma obrigação"

“É lógico que ficar a mais de três dezenas de pontos do primeiro classificado está fora de questão na presente época.
"Presunçoso, não tomes o sucesso do teu clube por garantido" dizem-me companheiros de camisolas diferentes.
Serei mesmo presunçoso em pensar que o meu clube tem tudo para fazer melhor que nos anos transactos?!
Creio que não.
O treinador é jovem e, ao contrário dos últimos três, já provou que consegue colocar uma equipa a praticar (bom) futebol a partir do zero. Combina uma boa interpretação de jogo e adversários, com uma componente de acompanhamento estreito com todos os jogadores no plantel, tirando deles o maior empenho, compromisso, envolvimento e motivação. Os planteis de Domingos respiram tranquilidade (trocadilho com alusão ao último bom treinador do nosso clube!).
Os jogadores são novos. Basicamente ficou-se com um onze do plantel moribundo no ano passado, adquiriu-se outro onze mais irreverente e multifacetado, e complementou-se a equipa com jovens que darão um futuro promissor ao clube quer financeira, quer desportivamente. Temos um central alto e forte, concorrência para os laterais, um novo Pedro Mendes, asas para tornarmos o leão alado e instinto felino na nossa frente de ataque.
A direcção é nova e parece empenhada em dar tranquilidade à equipa.
No fundo vemos um esforço em aproximar sócios e adeptos ao clube, gerir a relação com a comunicação social e garantir o respeito dos organismos que estruturam o nosso futebol nacional (liga, arbitragem, FPF...). 
Por tudo isto e pela sede de todos os sportinguistas pergunto: Fazer melhor não é uma obrigação?
Sim.
Chamem-me ingénuo, ignorante ou iludido mas acredito piamente no sucesso desta equipa. Acredito mesmo no campeonato.
Acredito num Onyewu e num Rinaudo a secarem adversários, num Schaars a pedir desculpa às defesas por rasga-las com passes mirabolantes,  num Jeffren, num Capel e num Carrillo a maravilhar os adeptos com jogadas de génio, num Bojinov e num Van Wolfswinkel de braços estendidos aos céus a celebrarem mais um hat-trick no seu vigésimo golo da época... 
Termino: esta obrigação estende-se a nós, adeptos.
Faremos mais e melhor.
Estaremos com a direcção, com o treinador, com a equipa.
Que não nos falhe a ambição, a esperança, o ímpeto, a garra.  O sucesso é mesmo uma obrigação. Estamos (indubitável e felizmente) condenados à vitória, uma grande vitória.
JRHM”

Nenhum comentário: