A voz do adepto leonino - "O goleador que falta"

A equipa actual do Sporting peca no capítulo da finalização pela falta, essencialmente, de um temível goleador.
Como temos observado, o plantel tem vários avançados mas nenhum gosta de jogar fixo e assegura 15/20 golos por época.
Mais preocupante é que se estão a queimar rapidamente algumas aquisições por estarem a jogar fora da posição ideal e pedindo-lhes golos de imediato.
Recuemos alguns anos quando tudo era diferente.
Longe vão os tempos do grande Jardel, em que não era necessário jogar bem: era sempre uma questão de tempo que Supermário meteria um golo de qualquer forma.
Longe vão os tempos em que uma contratação levava mais de 5 mil adeptos ao estádio, em plena euforia, cheios de ilusão.
Longe vão os tempos em que um avançado iniciava a época com peso a mais e, mesmo assim, marcava na sua estreia.
Longe vão os tempos em que se dava 5 milhões por um jogador de créditos verdadeiramente firmados. Esta verba corresponde hoje a um valor bem mais elevado (provavelmente o valor que pedem por Bendtner).
Longe vão os tempos em que víamos os jogos de forma tranquila, sem o coração nas mãos.
Longe vão os tempos em que ganhar em casa não era um drama.
Longe vão os tempos em que um ponta-de-lança à chegada garantia que ia marcar muitos golos (não se limitando ao habitual “não posso prometer um número, mas prometo que vou trabalhar”).
E as promessas tornavam-se realidade e os títulos apareciam.
Ora não havendo no mercado jogadores de idêntico calibre, tem que se encontrar alguém que possa concretizar o caudal ofensivo produzido pela equipa, este ano bem apetrechada nas alas (Jéffren e Capel).
Para devolver a esperança a todos (aos adeptos e à própria equipa), tentaria seduzir Nikola Zigic, para este projecto.
Será tão difícil convencer o gigante sérvio a escolher o Sporting em detrimento de uma equipa da 2.ª divisão inglesa (Championship para ser mais exacto)? Será assim tão caro? Será que oferecendo um bom ordenado e com um contrato por objectivos (jogos/golos) não o conseguiríamos? Se os outros conseguem (vejam-se os casos de Javi Garcia, Saviola, Garay que abandonaram o Real Madrid), será no nosso caso tarefa impossível?
Em primeiro lugar não é tosco nenhum; joga bem de costas para a baliza; tabela bem; remata bem e, o mais importante, é um tremendo cabeceador e os seus 2,02m ajudariam, e muito, quer nas bolas defensivas, quer nos cantos e livres (onde continuamos simplesmente inofensivos), quer nos jogos em casa onde por vezes é necessário recorrer ao «chuveirinho», e nesse aspecto o sérvio é fortíssimo. Não é muito móvel? Verdade? Mas para isso teríamos bons extremos e um 10 (Isma ou Matías) a deambular em combinações e a aparecer na cara do golo. Os nossos cruzamentos, com uma referência daquelas, atemorizariam as defesas contrárias e até no aspecto psicológico estas se apresentariam mais limitadas.
Depois há o aspecto potenciador: Zigic disfarçaria as carências do jogo defensivo aéreo (provavelmente as referências à altura dos nossos centrais acabariam por desaparecer), criaria pânico nos lances de bola parada (não só ele mas libertando outros jogadores), os cruzamentos fariam sentido (passariam a efectivas assistências para golo e não um simples bombear para a área) e dessa forma o trabalho desenvolvido pelos alas seria muito mais profícuo. Os próprios avançados, Postiga, Wolf, Rubio, Bojinov não teriam o foco centrado nas suas actuações, não se lhes exigiria tanto e, com menos pressão, renderiam muito mais (e seria possível fazer rotação em função dos momentos de forma de cada um).
Haja um pouco de ambição para se regressar aos tempos de glória.
Dirão os críticos: tem 30 anos? Pois tem e mais de 100 golos pelas equipas que jogou. Relembro que é o titular indiscutível da selecção sérvia, um dos melhores cabeceadores do futebol actual e muito respeitado pelas defesas contrárias.
Eu iria esperá-lo efusivamente ao aeroporto e as claques dedicar-lhe-iam muito rapidamente vários cânticos.
E sei que ele corresponderia com os seus golos.
Como um jogador pode potenciar o valor de um plantel.
E o sonho voltaria a ser uma realidade.
P.S- Digam-me lá se contra estes débeis dinamarqueses um verdadeiro matador não os teria trucidado e estaríamos agora bem mais entusiasmados com a equipa?
Neste post sugeri a contratação do gigante sérvio, cujo valor de mercado deve andar à volta dos 3-3,5milhões de euros, mas claro que aceitaria de bom grado outras opções – Bendtner não acredito que haja dinheiro; Amauri não sei se tem ordenado incomportável; Trezeguet, mas não para gozar pré-reforma.
Saudações leoninas,
Brunix”

O blog está a crescer todos os dias e também tem vindo a crescer em termos de fãs no Facebook, já ultrapassou os 800 fãs, se ainda não és fã, podes tornar-te fã aqui(cliquem).

4 comentários:

Anônimo disse...

Nao acredito muito que ainda venha alguém! Mas sim falta um goleador e principalmente um DE que saiba defender e atacar que tire bons cruzamentos e saiba conduzir a bola.

Daniel disse...

Se é tão bom, porque é que está na 2ª divisão ?

E não me digam que o Hulk tamem tava lá no Japão, porque este Zigic toda a gente o conhece !

Mas não sei, até poderia ser bom !

Anônimo disse...

Concordo inteiramente com tudo o expendido pelo companheiro!!!!! Acrescento, o que o companheiro certamente por lapso ignorou...Longe vão os tempos em que podíamos contar com um temível goleador de nome Liedson! E que saudades temos!
Os responsáveis pela sua dispensa ainda vão amargar muito mais!!!
Rictemple

Anônimo disse...

Só quero fazer uma observação: Porque é que falam em pontas de lança com mais de 1,90? O Falcão (excluindo o Jardel) foi o melhor ponta-de-lança a jogar em Portugal de cabeça nos últimos tempos. Inclusive marcou ao Sporting de cabeça e era o Torsiglieri que o cobria (e quanto mede o Torsi?)

SL
Daniel