A voz do adepto leonino - "Fantasmas pairam em Alvalade"

Antes de publicar mais uma crónica enviada por um leitor do blog, quero dizer a todos os leitores que enviam crónicas que agradeço imenso a vossa colaboração e que tento publicar todas as crónicas enviadas, mais uma vez obrigado pela vossa contribuição.
“Em Aveiro vi muitas coisas de que não gostei mas para criticar não faltarão vozes. Aliás, também eu necessitei de uns dias para conseguir voltar a pensar de forma positiva.
Faltou agressividade ofensiva, meio campo a pensar jogo, dinâmica na equipa e quando se insistiu na inspiração de Capel, veio ao de cima a falta de um goleador nato.
Mas isto já nós suspeitávamos que iria acabar por acontecer.
Aspectos positivos também os houve: melhor organização defensiva e, por vezes, as alas a funcionarem. Não havendo Jardel, Acosta ou Liedson, digam-me para quê insistir em sistemáticos cruzamentos.
Agora o que não deveria acontecer é sermos nós próprios a desestabilizarmos alguns jogadores.
Senão vejamos: Djaló, a passar mau momento de forma, consegue fazer melhor; não vale a pena assobiar sempre que toca na bola; aquela «ovação» aquando da sua substituição revela que este jogador dificilmente terá condições para fazer melhor em Alvalade; e que falta faz nesta equipa ter alguém que estique o jogo; nunca foi tecnicista? Verdade. Mas já o vimos fazer bem melhor. Evaldo é o caso mais sintomático do que referi: sempre que toca na bola, ela queima, não consegue fazer as coisas mais simples porque tem a cabeça completamente em água; os constantes assobios estão a limitá-lo tremendamente; já fez melhor, defendia razoavelmente bem, nunca foi famoso a atacar; tudo isso é verdade, mas deixem o homem em paz porque já nem a defender é competente.
Ora se sabemos que não haverá dinheiro para muito mais, (também eu gostaria - não por capricho mas por entender ser imprescindível - que se comprasse mais um central, um trinco possante e um goleador) não nos podemos dar ao luxo de aniquilar jogadores que, goste-se ou não, vão fazer muitos jogos esta época.
Preocupa-me que, por este andar, a fogueira de jogadores não mais pare de crepitar e então se comece a ouvir nas bancadas: Ricky? Outro Pongolle. Schaars? Um Hugo Viana loiro. Onyewo?  Tosco demais para a nossa equipa (só falta mesmo virem a dizer que é baixo; parece que está tudo mortinho que se lesione). E Bojinov, com aquela namorada gostozona, só pode ser gajo da noite.
E pior quando sobrar para os miúdos: Turan (ataca ou defende mal, logo se arranjará um defeito e é baixo; amigos, já não vai crescer); Arias idem aspas; Carrillo outro Djaló; Rubio prometeu muito (como se cá estivesse há anos); e a crueldade nas críticas não poupará os nossos miúdos Bruma, José Lopes, Lori (se calhar vão dizer que é demasiado alto) e tantos outros cheios de talento mas que necessitam de tempo (e do carinho da massa adepta).
Calma malta que tudo pode mudar num ápice.
Se arrumarmos os dinamarqueses com 3-0 (no mínimo), marcando no primeiro quarto de hora, e com o segundo ao cair da 1.ª parte; eles arriscam e ainda levam mais (grande golo do Boji ou Ricky), passaremos a segunda parte a trocar a bola sem pressão e virão ao de cima as capacidades de alguns jogadores deste grupo. A terminar, olés constantes, trocas de bola de um-dois toques, a fazer lembrar nas bancadas e nos comentadores, o tiki-taka do barça
E um resultado contundente com o Marítimo, 72 horas depois, faria desaparecer todos os fantasmas que teimam em pairar em Alvalade.
Por isso amigos, mesmo que no domingo tenha saído de Aveiro a pensar em tudo menos no que acabei de escrever, resta-nos acreditar. Confesso que neste momento um zerinho já me chegava.
Para terminar queria aqui deixar a Carlos Freitas um conselho: nunca conseguiste ter sucesso sem um goleador nato nas tuas equipas, por isso não arrisques a tua cabeça que, como saberás, ninguém te perdoará.
P.S. Uma última nota para o público que esteve presente em Aveiro: simplesmente arrepiante ouvir as claques, o jogo inteiro, com uma exibição daquelas, a torcer ininterruptamente pela equipa. Um exemplo do que é Ser Sporting.
Como me confessou a minha mulher, valeu a pena ter ido a Aveiro só para ver e ouvir as nossas fervorosas claques, a apelarem ao NOSSO AMOR PELA CAUSA LEONINA.
Saudações Leoninas,
Brunix”

5 comentários:

José Sarmento disse...

Muito bom Brunix... também estou contigo. Temos que ser positivos. Dizer mal é dos outros não dos nossos!

Abraço

Viva o nosso grande Sporting Clube de Portugal

Saudações Leoninas.

Lomba disse...

Concordo contigo em 100%. Apesar de não gostar nem do Djaló, nem do Postiga e nem do Evaldo, poderiam jogar bem mais se não fossem os assobios. Os jogadores, acredito eu, que tenham medo de jogar pelo Sporting! Sentem-se limitados. Quanto ao Ricky, como eu li em outro blog, acho que precisa de marcar um poker na sua estreia para não ser considerado um flop. Há jogadores que nem ainda jogaram pelo Sporting e já são considerados flops. É triste! Temos um exemplo de um flop considerado pelos sportinguistas, Caicedo. Cá era considerado um flop, um inútil mas em Espanha fartou-se de marcar. Como eu sempre disse, o maior inimigo do Sporting são os próprios sportinguistas!

Daniel disse...

è disto que eu falo ! Somos nós que temos que levar o Sporting ao colo !

NOs outros são as arbitragens, no Sporting somos nós !!!


GRANDE POST BRUNIX !!

AFRICA EM POESIA disse...

Gostei de ler e ver que é a realidade. Temos que mudar mentalidades e apoiar e não destruir...
As claques em Aveiro
Pediam... : BEIRAAAAAAAA...A claque respondia...SPORTIIIIIIING era o único grito que se ouvia-
Porque... Adoramos este clube.

Dói-me a alma quando falam no Postiga. Vi este Filme. Com o Paulo Bento o clube fez a vontade. os resultados ...foi o que se viu...
Com o Liedson com o Moutinho com o Miguel Veloso com Nani etc... tratamos muito mal o que é nosso. Já entram em campo com terror...

De tudo que leio penso que sai Djaló e o Postiga e nessa hora..SOMOS CAMPEÕES...


Tenhamos força para apoiar e
para termos Paciência...
BEIJOS VERDES e um Rugido forte.

Anônimo disse...

O nosso problema é tempo para a equipa ter rotinas. E isto não se faz com um clic. Não se compra. Leva tempo e aparece com treinos e muito trabalho. Depois temos o problema do Bendica e Porto. O Porto tem a equipa rotinada. Joga de olhos fechados. Todos os jogadores estão cientes do que devm fazer porque jogam juntos há pelo menos 1 ano. O Benfica com a compra de alguns jogadores, consegue com menos tempo, uma rotina de jogo que J sempre utilizou. E compraram um jogador excepcional, Witsel. Parece que já joga na Luz há 5 anos. Temos assim a pressão de vermos no campeonato os rivais a terem mais pontos, a ganharem, e nós cada jogo, é uma pressãp enorme nos jogadores, nos treinadores, na direção e ... no público quer no estádio quer adeptos em geral. Tudo navida leva o seu tempo, e nós sportinguistas, temos que não acreditar que vamos ser campeões este ano. Quem acreditar nisto é ingénuo. È ano para rotinas, muito trabalho e para o ano já podemos pedir titulos. Tudo na vida leva tempo. Se assim não fosse, um milionário qualquer das arábias, comprava os melhores jogadores do mundo e punha-os no campo e eram campeões. Sabemos que não é assim. Vejam o Manchester City. Tambem temos que ver que o nosso orçamento, comparado com o dos nossos rivais é MUITO INFERIOR. Só o do Porto é de 96 milhões de euros. O Benfica tambem vendeu muito bem ( Di Maria, Coentrão, Ramires, David Luiz ) Estamos a falar de mais de 80 milhões de euros. Vendem também a imagem, e assim os euros aparecem. Nós sportinguistas, temos que pensar que a nivel de receitas, quer de merchandaising, quer de quotização, quer de direitos televisivos, estamos muito abaixo destes clubes. Basta ver que o Benfica para o ano vende os seus jogos em casa por 40 milhões euros ano. É muito dinheiro. Assim temos que viver com o que temos. Se tenho um Fiat, e for para a autoestrada, não posso concorrer co o meu vizinho que tem um BMW. Saudações