A voz do adepto leonino - "A realidade do Sporting"

“Em Portugal a economia paralela tem quase tanta importância como a economia real e grassa a corrupção.
Neste País um título conquistado em qualquer competição por meios ilícitos, cozinhado nos bastidores, tem o mesmo valor de um obtido com verdade desportiva.
Existe fruta fresca e madura, café com leite, quinhentinhos, envelopes fechados e tudo serve para atingir a glória.
Somos também um País onde os adulteradores da verdade desportiva passam impunemente pelos Tribunais civis e desportivos, como se o crime compensasse e ainda merecem títulos de Papas, Cardeais e Bispos, tudo isto com a complacência de Governos, Federação de Futebol, UEFA e FIFA.
Toda esta gente merece honras de primeira página ou aberturas de noticiários em qualquer canal televisivo.
A imprensa desportiva que se pinta de vermelho muitas vezes, de azul algumas vezes e de verde raramente e, só para falar mal, tem dado cobertura a toda esta vergonha que se instalou no futebol português.
Ninguém se interroga porque uns compram jogadores por milhões e outros não, porque uns pagam salários de muitos milhares e outros não, porque se influência a colocação de treinadores, porque se compram jogadores para colocar noutros clubes e porque se aliciam jogadores em fim de contrato, a meio da disputa competitiva.
É neste contexto que se insere uma instituição centenária e de utilidade pública, que se debate com graves problemas económico-financeiros que se chama Sporting Clube de Portugal.
Tudo isto aliado à incompetência de muitos dirigentes, ao desinvestimento no futebol em favor da vertente empresarial do clube, ao afastamento dos sócios , conduziram-nos até ao abismo no qual não nos podemos projectar sem pôr em causa a sobrevivência do Sporting.
A corrupção, o Estado, os corpos directivos e os sócios são os responsáveis por tudo isto.
O Estado nunca soube reconhecer e pagar o serviço público que o Sporting desempenha na formação de tantos jovens.
Nós educamos, promovemos socialmente e formamos atletas substituindo-nos à função que deveria ser pertença do País sem qualquer recompensa adicional.
Nós formamos os melhores jogadores do mundo que prestigiam e dão a conhecer o nome de Portugal.
Nós formamos atletas que através dos seus feitos gloriosos em competições internacionais, fazem correr pela cara dos portugueses lágrimas de orgulho quando recebemos as medalhas, ouvimos o hino ou assistimos ao hastear da nossa bandeira. Apesar de tudo isto construímos um Estádio e uma Academia de futebol com menos ajudas que outros clubes tiveram e para pugnar pelos nossos direitos tivemos de utilizar a via litigiosa com toda a demora que essas decisões levam a chegar.
Os corpos directivos são responsáveis porque tiveram falta de visão, não foram capaz de implementar uma estratégia acertada e deram corpo a negócios ruinosos dos quais o caso Pongolle é só mais um exemplo.
Os sócios são responsáveis porque permitiram com a sua passividade que os afastassem paulatinamente da vida do clube e no momento certo quando ainda era tempo, não foram capazes de se unir e dar o murro na mesa.
Tudo isto conduziu-nos a um passivo monstruoso que hipotecou o futuro do Sporting. Grande parte das receitas em vez de serem investidas na equipa de futebol, servem para pagar juros da dívida.
A maior parte das receitas do clube durante dois ou três anos já estão comprometidas. Contra factos não há argumentos e explicam porque os jogadores necessários ainda não foram apresentados.
Os jogadores que os sócios idealizaram e que fizeram subir as expectativas não podem ser adquiridos.
Temos que nos contentar com jogadores de nível médio/baixo mas muitas vezes a raça e entrega desses profissionais fazem milagres.
O Sporting não pode infelizmente, constituir uma equipa de luxo como o clube merecia mas iremos ter pelo menos, uma equipa guerreira que sairá do campo em cada jogo vitoriosa ou derrotada mas sempre com o sentimento do dever cumprido.
Se as notícias que aí vêm não forem as que desejamos, não fiquemos frustrados, pelo contrário, apoiemos sempre porque a união faz a força e também pode ser uma via para o sucesso.
Viva o Sporting clube de Portugal!
José Amorim”

2 comentários:

Anônimo disse...

grande texto José! Parabéns pela sua opiniao lúcida e frontal! Viva o Sporting

Luis Bento disse...

Parabéns ao autor do texto... Já agora, troca de links?

www.mercadoverdebranco.blogspot.com